Quando a diferença nos une em igualdade...

~

Tal como ficou combinado hoje vou partilhar convosco algum material trabalhado por mim no primeiro ponto do meu projeto curricular de sala « De mãos dadas»,pensado para me apoiar o presente ano letivo...espero que a partilha vos seja útil:)

imagem retirada do sitio, http://neetrissomia.wordpress.com/

Durante este ano letivo vamos receber um menino de 3 anos, portador de T21, será a primeira vez que vou trabalhar com uma criança assim.Foi um desafio que aceitei de bom grado e procurei informar-me mais sobre o seu desenvolvimento, conhecendo as suas múltiplas capacidades e tentar encontrar formas de contornar as suas dificuldades.Assim visitei vários blogs sobre este tema, li artigos, vi entrevistas, enfim fiz de tudo para me informar e preparar um projeto curricular ajustado para todos os meninos da minha sala.
Deixo-vos um excerto sobre a forma como inclui este aluno no meu capitulo, grupo tipo 2/3 anos.

(...)Tal com já foi referido, o grupo da sala------ tem um elemento com Necessidades Educativas Especiais. Sendo portador de Trissomia 21 surge a necessidade de conhecer a forma como se caracteriza o seu desenvolvimento, tendo em conta as suas capacidades e limitações a fim de desenvolver uma prática pedagógica inclusiva e correta para todos os elementos do grupo.(...)
in, projeto curricular de sala- «De mãos dadas» 2013/14, ed. Milena Branco

Tal como havia feito para apresentar as características de desenvolvimento das crianças de 2/3 anos, voltei a usar as tabelas a fim de se poder realizar uma leitura mais rápida e eficiente da informação.

Tabela 4. -  Metas de desenvolvimento comum/ estratégias para a  criança com t21 na faixa etária dos 3 anos
Domínio
Principais dificuldades
Estratégias a adotar
Psicomotor
·         Manifesta geralmente um atraso na aquisição da marcha, da preensão e do equilíbrio
·         Revela problemas sensoriais e preceptivos
·         Treinar a marcha, caminhando com o apoio de andarilhos ou do adulto
·         Estimular o equilíbrio da cabeça no contato social ou com objetos
·         Estimular a preensão de objetos que retenham a sua atenção
·         Promover o contato social com o restante grupo e  equipa de sala
Cognitivo
·         Dificuldades em discriminar imagens e/ou sons
·         Dificuldade em reconhecer características tácteis nos objetos
·         Dificuldade em segurar um lápis ou outro objeto pequeno
·         Curto tempo de concentração/atenção
·         Usar cartões de imagens familiares que captem a sua atenção
·         Repetir canções ou brincadeiras linguísticas familiares
·         Usar objetos de diferentes texturas
·         Usar material adequado ás suas capacidades (lápis grossos etc..)
·         Não prolongar atividades
Linguagem
·         A aquisição da linguagem é possível embora tenha um tempo próprio e um ritmo personalizado
·         Dificuldade em manter o olhar dirigido à imagem ou objeto nomeado
·         Contornar as complicações associadas à sua capacidade de expressão – dificuldades respiratórias, de audição, perturbações articulatórias, relacionadas com a língua, lábios e dentição-
·         Repetir jogos linguísticos familiares, tendo em atenção a entoação, ritmo e dicção
·         Conhecer e respeitar a personalidade, gosto e opinião da criança
·         Estimular o contato visual durante as atividades propostas
·         Realizar exercícios específicos com a terapeuta da fala, repeti-los em ambiente de sala sempre que possível
·         Manter sempre a criança integrada nas diferentes atividades de sala.
Afetivo-social

·         Apreciam jogos de cariz social
·         Gostam de comunicar com os pares
·         Apresentam uma personalidade vincada
·         Baixo tempo de concentração
·         Promover e estimular o jogo social, dentro e fora da sala
·         Englobar a criança em todas as atividades propostas dando o apoio necessário, sem fazer por ele mas no sentido de o ajudar a fazer
·         Um ambiente educativo afetivo e adequado, sem superprotecção  ansiedade e afetividade é sem dúvida muito positivo para o desenvolvimento social e afetivo da criança
in, projeto curricular de sala- «De mãos dadas» 2013/14, ed. Milena Branco


Agora estamos todos mais preparados para entender e ajudar este grupo, onde a diferença nos unirá em igualdade de oportunidades, afeto e dedicação:)

Não percam a próxima partilha sobre o ponto referente à organização do tempo e do espaço na sala de creche!
Até breve:)

Quando a diferença nos une em igualdade... Quando a diferença nos une em igualdade... Reviewed by Milena Branco on quarta-feira, setembro 04, 2013 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.