Porque se faz e como fazemos?

O que mais pode enriquecer qualquer pessoa ( independentemente da profissão que se tem) é a partilha, receber e trocar informações com outras pessoas de outras variantes profissionais ou na mesma. O Sítio é uma dessas « salas de estar» onde todos podem beber e dar a beber boas práticas educativas!
Hoje vamos partilhar duas dicas, uma do nosso colega Henrique Santos e da sua sala amarela outra da colega Rosa Maria Alves.

Aqui fica a forma como a colega Rosa resolveu introduzir o mapa das atividades e avaliou os mapas de comportamento e das presenças!

« Para que o Educador possa fazer um bom planeamento, adequado ao grupo, tem de refletir na  e sobre a sua ação educativa. Ou seja, deve "anteceder"  situações e experiências de aprendizagem, deve refletir nos instrumentos e estratégias de aprendizagem. As crianças devem participar nesta etapa, e o educador tem de criar oportunidades educativas que favoreçam a aprendizagem cooperada, num processo democrático de partilha. 
Desta forma, os instrumentos de pilotagem expostos nas paredes da sala de atividades requerem a sua participação, ajudam as crianças na planificação, gestão e avaliação das atividades educativas participadas por elas, proporcionando ao grupo aquisições de normas de vida democrática.
Foi o que fizemos, quando chegou o mês de novembro. “Lemos e contamos”, o quadro de Presenças e Faltas de Outubro, e do Quadro do Comportamento, e registamos na nossa avaliação mensal.» ed. Rosa Alves

Este « é o “Mapa de atividades semanal”,  que funciona numa grelha de dupla entrada, coletiva, alinhando-se os nomes das crianças e as atividades disponíveis para o grupo, quer sejam livres, orientadas, de rotina e de projeto.» ed. Rosa alves

« Desta forma, expõe o que as orientações curriculares explanam e, diariamente, as crianças planeam as atividades que pretendem desenvolver, podendo conduzir projetos individuais, iniciando os tempos de trabalho autónomo. Por essa razão, o plano de atividades transparece a vida da sala de atividades. O código de preenchimento deste instrumento foi combinado previamente com as crianças »Ed. Rosa Alves

O Colega Henrique Santos também nos fez chegar um resumo das suas rotinas e a sua organização, podem ver tudo mais ao pormenor aqui!

Na sala Amarela fazem-se pesquisas diáriamente, isto porque « Todas as "coisas" que nos chegam à sala, seja porque as trazemos nós ou o Henrique, são "investigadas" ao pormenor.
Da descoberta das "pequenas coisas", chegamos às grandes coisas. Um feijão que o Vasco trouxe, um violino que a Mariana toca, um Bayblade que o Santiago não quer emprestar, são sempre "motivos" para "investigar", ed. Henrique

Aqui existe um projeto de higiene oral, onde todos escovam os dentes diáriamente depois de almoço, existem regras que são do conhecimento de todos e todos as respeitam! « As pastas e as escovas guardamo-las em caixas próprias que identificámos com o nome e um símbolo que é só nosso. Assim nunca nos enganamos quando as vamos buscar.
E no final, lavamos tudo muito bem e guardamos... Ah... e já esquecíamos: as caixas têm uma ampulheta que nos ajuda a "controlar" o tempo...» Ed. Henrique

Comer fruta diáriamente é uma excelente prática ( que felizmente também é usada no local onde trabalho!) « Todos os dias comemos uma pequena refeição na escola, a meio da manhã.
Às vezes fazemos torradas, outras comemos bolacha e leite escolar, Mas, na maior parte das vezes comemos fruta. E comemos fruta de muitas formas: em puré, descascada, cortada em pedaçoes, em forma de salada de fruta...
Mas do que gostamos mais é dos batidos. Já fizemos de manga, banana, morango, maçã, pera, diospiro, melão ( ...)» Ed. Henrique

Por aqui o registo e a planificação das atividades é muito importante, vejam as estratégias que eles utilizam!
« Sempre que preparamos ou planificamos o que vamos fazer, com a ajuda do nosso "quadro" (que são as portas do armário da nossa sala e uns marcadores que se limpam com água), escrevemos e "organizamos" o projeto e o que temos de fazer.
Dessa forma, está sempre "presente" os passos, onde "estamos" e o que precsamos fazer a seguir. 
Às vezes (como no caso das receitas), também serve para que, depois, possamos copiá-las para o computador. E no final, ilustramos como queremos...
Dá muito jeito ter umas portas dos armários onde podemos escrever e depois limpar. Porque não podemos fazê-lo nas paredes e as paredes disponíveis são poucas...» Ed. Henrique

Este é o mapa de presenças do Ed. Henrique vejam como o utilizam.
« Todos os dias fazemos a "chamada" e marcamos as presenças numa folha de papel. Depois de marcar quem está e quem não está, contamos as marcas e depois confirmamos, contando os colegas.
Uma cruz para quem não está. Um ponto para quem diz "estou cá". Para ouvir quem está é necessário estar em silêncio. E nós respeitamos o silêncio. A ordem de contagem é a da lista de presenças.
E todos nós já contamos bem...» Ed. Henrique.

Obrigada colegas pelas vossas partilhas!!
Façam como eles e enviem as vossas partilhas sobre esta ou outras temáticas para o mail sitiodaeducacao@gmail.com ou pela nossa página do facebook.
Bom trabalho!

Porque se faz e como fazemos? Porque se faz e como fazemos? Reviewed by Milena Branco on terça-feira, fevereiro 25, 2014 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.