Quando os sonhos cruzam caminhos - Entrevista com Annah Craft´s

Hoje venho apresentar-vos a artista plástica que deu a mão ao nosso projeto «Agenda de educadores- Sítio da Educação» realizando uma poética pintura sobre a arte de educar e de ser criança.
Numa conversa informal podemos desde logo entender a beleza que as pessoas trazem dentro de si,
Annah é uma dessas pessoas, cheia de luz, talento e cheia  de tesouros dentro de si.
Depressa nos cativa e nos faz sentir parte de si ao ponto de nos revemos algures dentro das suas criações artísticas, venham connosco conhecer e descobrir Annah Craft´s.


Sítio da Educação- Olá Annah para que todos te possam conhecer melhor fala-nos um pouco de ti como mulher e artista. De onde vens e quando descobriste esta tua faceta maravilhosa de fazer arte na ponta de um pincel?

Annah - Antes de mais, obrigada por esta entrevista.
Sou a Ana e tenho 38 anos. Vivo em plena Lezíria Ribatejana com minha “cara metade” e dois gatinhos! Nasci em França onde residi até aos 8 anos. Já desde esse tempo, onde frequentei o “Jardim de Infância” até à 2ª classe (escola primária), muito me recordo de adorar os momentos em que as educadoras nos punham a desenhar e a pintar em mini cavaletes e blocos de papel, que eram aproveitamentos de versos de papel de parede! (sim, já se reciclava nessa altura! ;))
É de facto incrível como as memórias da época pré-escolar tanto nos marcam... É a fase em que, enquanto criança, toda a espontaneidade fervilha. Não há o “medo da tela”, de arriscar, de brincar com papéis, tintas. A criatividade é simplesmente natural!
Vindo para Portugal, realizando todo o restante percurso escolar cá, acabei por licenciar-me como Designer Gráfica, profissão exercida desde então (a par com a de formadora). Contudo, a vertente mais “plástica” sempre esteve de algum modo presente na minha vida como hobbie. Sempre fui fazendo “minhas pequenas criações”, passando por diversas fases e técnicas (desde pintura a óleo, acrílico, vitral, artes decorativas...).

Sítio da Educação- Sempre te sentiste chamada a criar ou foi uma descoberta casual?

Annah - Sim, Criar e Comunicar são duas chaves essenciais e sempre presentes na minha vida.
Sempre me lembro de procurar criar. Desde o desenho á pintura nos mais diversos materiais 
 (conchas, pedras, cascas de caracol, até ao papel e madeira...), até a gostar de encenar e representar pequenos teatros, fazer programas de rádio (gravando tudo na famosa “K7”, dançar, cantar... Enfim, naturalmente sempre tive de inserir a arte na minha vida, como parte da minha própria existência.
Como designer, a possibilidade de criar também existe. De qualquer modo, como obviamente sempre obedece a algumas condicionantes (sejam elas técnicas, de briefing, etc). Pelo facto de também sempre gostar de auto desafiar-me, sempre estive envolvida em projectos paralelos, que me permitam também explorar de outras formas a vertente comunicativa e criativa. Mas de facto, algo distinto acontece com “Annah Crafts”. Este projecto surge quando descubro «ocasionalmente» esta nova técnica que engloba uma série de outras tantas mais técnicas... Fez-se um “click” com um enorme impacto em mim, a partir do momento em que realizei a primeira peça com esta nova abordagem da “mixed media art”. Seguidamente a um quadro surgiu outro e outro... surgiram ideias a querer explorar e experimentar... Quando dei por mim, já tinha mais “obras” realizadas em 1 anos do que reunindo  5 ou 6 anos. Com todo este enquadramento, tive a necessidade como que designar um nome próprio a esta fase. Surge o pseudónimo “Annah Crafts” que de facto resume esta faceta de gostar de experimentar imensas técnicas...



Sítio da Educação- Que técnicas usas? Qual a que mais gostas?

Annah - As técnicas que mais utilizo são a pintura com tintas acrílicas, aguarelas, lápis de cera, de cor, colagens, estampagem... O que mais gosto e aprecio é precisamente toda esta “alquimia” e complementaridade de todas estas técnicas e experiências. Criar é um misto de diversão e introspecção!

Sítio da Educação- Sabemos que quando pintas e crias tens ao teu lado uma guardiã das tintas, quem é essa amiga?

Annah -  É de facto uma “guardiã” e amiga sim. Chama-se Noa. É uma dos meus dois gatos. O seu amigo Hariel é também um companheiro fantástico, mas como é um macho, sempre prefere deambular pela casa, reclamando mais a sua independência e seu espaço ;)
A Noa, é uma “menina”... Sempre tem de estar ao pé de mim, quer seja ao computador, quer seja enquanto ando nas lidas domésticas , a descansar ou a pintar! (Por vezes deparo-me até com os meus preciosos papéis a servir de “ninho” da bichana, ou a querer beber água de lavar os pincéis!)

Sítio da Educação- As tuas criações estão geralmente ligadas à mulher. Quem são essas mulheres que retratas?

Annah -A primeira vez que me colocaram essa questão, fiquei de facto a reflectir... a conclusão a que cheguei, é que serão (mais ou menos inconscientes e/ou conhecidas) diversas facetas minhas. A verdade é que a arte tem essa capacidade de expressar o que é muitas vezes mais oculto ou inconsciente para nós... São formas de auto-expressão.
De qualquer modo, acredito que quem contempla as obras também se identificará mais com uma ou outra faceta, pelo que também poderão representar de algum modo alguma parte de cada um de nós...


Sítio da Educação- Tens feito várias publicações em revistas de artes e decorações, que feedback tens dos leitores?

Annah- O feedback tem sido bastante positivo. Por um lado, pelas cores utilizadas, pelas temáticas (num misto de universo infantil, mágico e naif...); também a própria mistura de técnicas, por não ser ainda uma abordagem muito comum , suscita alguma curiosidade...
Mais recentemente, têm também surgido pessoas a contactarem-me no sentido de organizar workshops. E este será decerto um projecto e desafio a que brevemente responderei!

Sítio da Educação- Se pudesses eleger uma das tuas personagens qual seria? Conta-nos um pouco da sua história...

Annah-Hum... eleger uma personagem ou uma peça parece-me de facto bastante difícil... Cada obra conta uma história e reflecte um momento e estado emocional em particular... De qualquer forma e fazendo um exercício, de qual poderia eleger para me representar... talvez a “Dama”.  Apesar de ter sido das primeiras obras, continuo a identificar-me bastante com ela. Antes de mais, remete-me para a época Victoriana (época pela qual possui um particular fascínio) . Esta figura é feminina, romântica, possui uma postura serena, tranquila. Parece ter muita classe, mas sem soberba. É bela pela simplicidade e serenidade que transmite.
O fundo é azul, o que exalta a sensação de tranquilidade. Possui uma textura que me lembram a arte de escrever, também outra forma de expressão que tanto prezo e admiro.
Possui também o elemento “Chave”, uma peça que adoro. (Colecciono-as na verdade!)
A chave tem algo de simultaneamente mágico e misterioso. Abre portas e encerra misterios e segredos. Recordam-me sempre entrada para um “Jardim Secreto” algures existente!



Sítio da Educação-Sabemos que as obras de arte são lidas de diferentes formas segundos os olhares que as deslumbram, mas e o teu olhar? O que te diz esta peça? Como a relacionas com a educação de infância?  Que técnicas usaste?

Annah - O universo infantil é algo com o qual me identifico imenso. E de facto ter sido convidada a criar uma ilustração para o que seria a capa de uma agenda para Educadores de Infância, Foi um privilégio e um projecto que abracei com todo o coração.
A ideia pela qual iniciei, foi procurar retratar o que para mim representaria a figura da Educadora (ou Educador). Uma figura, neste caso, maternal, educadora e protectora que seria a figura central. Os cabelos longos e laranja, assemelham-se a um “manto” que envolve e protege os “petizes”. A cor laranja foi escolhida por ser uma cor quente que lembra o fogo e o calor...
Depois, separadamente fui trabalhando diversas personagens/crianças, em que acabei por seleccionar 4 delas (democraticamente 2 meninas e 2 meninos ;)). A figura central feminina fica assim rodeada de crianças que espelham alegria.
Como gosto muito de utilizar elementos simbólicos, acrescentei uma flor e coração, tratando-se de ofertas pela parte dos meninos à sua “educadora”, como representação da gratidão por todos os ensinamentos, alegria e amor recebidos, tratando-se no fundo de bases cruciais para o futuro pessoal de cada um.
Ainda para complementar a ilustração coloquei a frase “O futuro pertence a quem acredita nos seus sonhos”. Se por um lado “o futuro pertence às crianças”, também é importante recordarmo-nos de que, quando se é criança, com toda a inocência e espontaneidade, existe uma esperança e um acreditar no futuro, enquanto adultos nunca deveríamos/devemos perder essa mesma capacidade de sonhar. E essa, considero que se trata de uma mensagem muito importante para todos nós.
As técnicas utilizadas foram a pintura em acrílico, aguarela, lápis de cera, colagens e estampagem...

Obrigada Annah por nos teres recebido e envolvido na magia que fazes quando pintas, sonhas e crias...
Esperamos ter mais novidades sobre ti, as tuas criações e os teus novos projetos.

Sigam o trabalho de Annah Craft´s em https://www.facebook.com/annahcrafts 
Até breve.



Fases da criação da peça «Infância»
«Pintando "criançada" » Annah Craft´s














«Criançada a ganhar cor! » Annah Carft´s













«É maravilhoso quando amamos fazer o que fazemos, e quando essa paixão chega também aos outros.
Ao ser convidada para criar uma ilustração que desse “rosto” a um projecto muito especial, de facto não hesitei...Ainda mais conectando-se a um universo que adoro (e que considero ainda fazer parte ;))
Aqui fica a ilustração resultante...» 
Annah Craft´s
Quando os sonhos cruzam caminhos - Entrevista com Annah Craft´s Quando os sonhos cruzam caminhos - Entrevista com Annah Craft´s Reviewed by Milena Branco on segunda-feira, junho 22, 2015 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.