Avaliação das práticas educativas: o olhar sobre mim, fora de mim


Chegou a hora de nos confortar-mos connosco próprios como  profissionais...é hora de mergulhar no que projetámos e no que realizamos, recolher as evidências, escutar-nos e observar-nos fora de nós mesmos, com o olhar de um investigador...É hora de Avaliar!
Importa refletir sobre esse ato de avaliar,  «A avaliação na educação pré-escolar é reinvestida na ação educativa, sendo uma avaliação para a aprendizagem e não da aprendizagem. É, assim, uma avaliação formativa por vezes também designada como “formadora”, pois refere-se a uma construção participada de sentido, que é, simultaneamente, uma estratégia de formação das crianças, do/a educador/a e, ainda, de outros intervenientes no processo educativo. Esta perspetiva de avaliação contextualizada (baseada em registos de observação e recolha de documentos situados no contexto), significativa e realizada ao longo do tempo, em situações reais, é também designada “avaliação autêntica” ou “avaliação alternativa”. Embora possa ser utilizada noutros níveis educativos, esta forma de avaliar tem particular importância na educação pré-escolar, em que, fazendo parte integrante e fundamental do desenvolvimento curricular, é inseparável da prática educativa.» (OCEPE,2016p.16)

 É momento para rever, reler, visualizar , fazer uso de todos os nossos instrumentos, documentos, fotos, vídeos, gravações de audio...colocamos as emoções de lado e vestimos a pele do investigador... 
Avaliar faz parte do processo natural da prática pedagógica, esta reflexão permite ao educador, olhar para a sua prática, fora da esfera diária, refletindo sobre o seu desempenho como promotor, andaime na construção de novos conhecimentos do seu grupo.
O educador convoca-se a uma reflexão séria sobre as abordagens, as parcerias, os instrumentos, a equipa, o grupo e o espaço onde decorreu toda a prática educativa, com vista á humilde recolha de elementos de mudança, que permitam melhorar e alargar os efeitos da sua prática pedagógica a planear para o próximo ano letivo. 



Começamos por avaliar o grupo, numa visão global e depois mais específica tomando cuidado nessa avaliação, respeitando o ritmo e cada um, aceitando cada criança como ser ativo e com voz própria, resta questionar
-estive disponível para  ouvir?
-estive atendo ás suas opiniões?Parti delas?
-Dei oportunidades iguis a cada uma, tendo em conta as suas capacidades reais?

«Cada criança tem uma identidade única e singular, tendo necessidades, interesses e capacidades próprias. ▪ Vive num meio cultural e familiar que deve ser reconhecido e valorizado.»(OCEPE,pg.12)
Para esta avaliação recorri aos meus apontamentos que registei na minha agenda Sítio da Educação no separador GRUPO, em cada FICHA INDIVIDUAL DO ALUNO


 

Uma grelha de dupla entrada dividida por áreas de conteúdo ou domínios, aqui tomei nota  das conquistas, das dificuldades, dos interesses...

O próximo passo é olhar para a prática educativa , refletindo sobre as decisões tomadas, as atividades e projetos que foram surgindo ao longo do ano...
É importante ouvir e promover oportunidades á criança para exprimir a sua opinião, confrontar-se com o seu crescimento, aprendizagem, os vídeos são uma óptima ferramenta para este exercício.


Podemos seguir algumas dicas de reflexão existentes nas OCEPE, depois de observar e reler os apontamentos mensais da nossa avaliação, eu usei as grelhas de avaliação mensal existentes no separador PLANIFICAÇÃO MENSAL

 

Uma tabela de dupla entrada organizada por áreas ou domínios, aprendizagens a promover, atividades a desenvolver e os recursos a utilizar. Aqui podemos avaliar as metas, e a forma de como as atingimos ou não, refletindo nesses aspetos facilitadores ou nas barreiras.
Depois devemos refletir sobre a forma como nasceram as temáticas de cada mês.


  • Planeia uma recolha e organização da informação diversificadas mas que seja exequível, selecionando o que é mais importante e pertinente?

  • Em que aspetos essa informação influenciou o planeamento, a melhoria do processo e das práticas educativas?

  • Como a partilhou com a equipa de sala? ▪ Partilha, debate e reflete regularmente com outros/as educadores/as o seu projeto curricular de grupo, os instrumentos de observação e registo e a forma como os utiliza e organiza? 
  •  O planeamento e a avaliação são participados e negociados envolvendo os diferentes intervenientes? Como e quando é que as crianças participam? Quais as oportunidades de participação que são dadas aos pais/famílias?
  •  O relato da avaliação é pensado em função dos destinatários: pais/famílias, outros profissionais, etc.? 
  •  A comunicação do processo e progressos da aprendizagem respeita normas éticas e deontológicas? Centra-se nos aspetos positivos e nos progressos das crianças? Não são divulgadas informações que possam prejudicar a criança e diminuir a sua autoestima? Respeita a privacidade das crianças e famílias?  


No final do ano letivo, as nossas anotações estão guardadas num mesmo documento (a agenda) e este poderá servir de apoio na redacção do documento de avaliação final da prática do educador. Serve também de rampa de lançamento para traçar novas metas, alterar estratégias e alguns procedimentos no arranque do novo ano letivo.


Um dos objetivos da existência da nossa agenda prende-se com a comodidade de poder compilar vários tipos de informação ao longo do ano letivo no mesmo instrumento, servindo também de memória futura, podendo recuar no tempo e realizar consultas nesta que pode ser uma agenda/portfólio do vosso trabalho.
Se ainda não tem este instrumento de registo pode encomendar o seu em http://www.sitiodaeducacao.pt/p/agenda-sitio-da-educacao-2017-2018.html



Avaliação das práticas educativas: o olhar sobre mim, fora de mim Avaliação das práticas educativas: o olhar sobre mim, fora de mim Reviewed by Milena Branco on sábado, julho 08, 2017 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.