Sentir O Natal Na Ponta Dos Dedos

 Hoje foi dia de poesia,  dia de cheirar, sentir, observar a cor que o barro deixa nas mãos... 
Dia de combinar água com argila,  de sentir a textura mudar, era dura ficou tão macia... 

Dia de juntar outros recursos,  talheres que cortam, outros que picam o barro,  copos e tampas de detergente foram matéria para muita exploração... 
Rolos de madeira que estendem e se seguram como por magia... 
E quando esses recursos se esgotam juntam-se galhos de raminhos trazidos do campo...
Surge a associação ao natal... 
O que parece?  
Rena?
Rodolfo? 
Voltaremos a esta ideia depois de secas as nossas peças. 
"A argila é um elemento polimórfico, pode multiplicar-se em infinitas formas a partir da intenção de quem a manuseia. O uso da argila pelas crianças proporciona ricas experiências sensoriais, assim como possibilidades ilimitadas para modelar e dar forma aos elementos que habitam o imaginário e a realidade, viabilizando, dessa maneira, oportunidades de aprofundamento na relação das crianças com esse material e suas possibilidades lúdicas, estéticas e poéticas." In, arte na creche 
"Durante os primeiros anos de vida, as crianças desfrutam de um potencial único na relação com seu corpo, estando com os sentidos aflorados, gestos e movimentos fluidos, instigados pelas descobertas que promovem; através das quais formam sua consciência a respeito de si mesmo, dos outros e do mundo. Ao mergulharem no universo simbólico, passam a significar suas experiênciastambém através do faz de conta e da expressão poética, e isso permite compreender a importância de desfrutarem de experiências como esta." (DEWEY, 2010)

Ainda não experimentaram sugerir um atelier de barro? 
Não percam a oportunidade de sair da caixa! 

Ed. Milena Branco