Recreios Sítio da Educação: Reggio Emilia, primeiro encontro

No último dia 31 de Março inaugurámos os nossos Recreios Sítio da Educação numa linda parceria com a página Reggio Emilia  Portugal.
Vivemos um primeiro encontro de estudo sobre esta pedagogia sonhada e construída pela comunidade de Reggio Emilia logo depois da segunda guerra mundial.
Decididos a reconstruir a sua cidade a comunidade local ousou reerguer o que designou de mais importante...a escola, a educação, a infância.
Loris Malaguzzi surge como peça importante nesta (re)construção e foi sobre ele e as suas inspirações que, durante um dia, reflectimos, vivênciámos e estudámos este caminho diferente de fazer educação.
A nossa Oradora foi Ana Lemos, pedagogista que nos apresentou os 10 pilares desta abordagem.
iniciámos a nossa visita de estudo com um fantástico vídeo sobre as escolas de Reggio Emília.
Reggio Emilia não é um modela educativo, mas sim «um projeto de investigação educacional a longo prazo, evoluíndo constantemente à medida que os educadores refletem na sua experiência prática sobre o processo de aprendizagem das crianças. Em Reggio a teoria vem da prática em vez de ser a prática determinada por teorias educativas fixas» Carla Rinaldi

«A filosofia de Reggio é um olhar para e da vida, um efeito de encantamento para quem descobre a vida... é viver no sentimento UAU, tal como na canção» Ana Lemos


Ana Lemos apresentou cada princípio com um brilho apaixonado no olhar. Envolvendo e apaixonando todos os presentes.

 1:A imagem da criança

A criança é vista como um ser de direitos. 
Direito à identidade, à unicidade,à diferenciação.
Direito ao respeito da sua potencialidade e agencia. o adulto deve assim confiar na criança, pois ela aprende tudo o que lhe interessa aprender. Os seus focos de interesse são o seu motor de aprendizagem.
2. o papel do educador

O educador é visto como um recurso, um facilitador, um provocador, um promotor da situação.
Aquele que pode dar resposta diferenciada a cada criança, trabalhando COM a criança e não PELA criança.
o educador é apenas mais um RECURSO, um andaime na construção dos saberes e aprendizagens.

3. A pedagogia da relação
 Sem relação não existe educação. É preciso cativar a criança e deixar-se cativar por ela.
«De tudo o que mais educa é o afeto» Ana Lemos
Educadores que sentem prazer, diversão e envolvimento, promovem esses sentimentos na criança.

4. O Espaço com terceiro educador
A criança aprende com aquilo que a rodeia, por isso o espaço é um recurso muito valioso que merece um cuidado especial.
O espaço deve ser: Provocador/ rico em simplicidade/seguro/com valor estético/promotor do risco... o espaço deve ser VIVO.
Deve conter recursos organizados em número suficiente para que todos tenham oportunidade de os usar. Deve promover a concentração e a autonomia, estimulando à relação e ao diálogo.
O espaço é visto como ambiente educativo.
5. Pedagogia da ESCUTA

É preciso estar disponível para ESCUTAR, é preciso ESTAR.
O verbo mais importante deixa de ser o FALAR para ser ESCUTAR.
Esta disponibilidade para estar presente permite conhecer profundamente a criança.







6. Currículo Emergente

Projetação VS planificação
A génese está no diagnóstico, que nasce daquilo que se observa e que promove uma resposta, seguida de uma provocação.
O educador parte de um registo inicial (génese), passando por uma investigação, de modo a conseguir projetar as hipóteses, as sugestões que servem de base às suas provocações. 
Da ação nasce a documentação do vivido e a reflexão dessas vivências.
O educador é simultaneamente um investigador permanente.
Provocação VS Atividade
A ação apresenta-se sem objetivos, metas definidas, mas repleta de intencionalidade educativa, que dá assim, resposta ao foco de interesse de cada criança.
7.Aprendizagem Progressiva

«Aprender e reaprender com as crianças é a nossa linha de trabalho» Malaguzzi
É preciso pesquisar-investigar-aprender e refletir-avaliar de forma constante para poder acompanhar a criança no seu processo de aprendizagem.


8. As cem linguagens
Descobrir o mundo pelas diferentes inteligências.
O Atelier e os atelieristas- o seu papel-
o atelier é o espaço onde se encontram os recursos e o tempo para os poder explorar.
os Atelieristas são artistas com especialidade (arte , música, dança, ciências, desporto) numa determinada área que estão na escola, que fazem parte da equipa educativa.

Os ateliers são espaços repletos de materiais abertos, sem fins definidos, que nas mãos das crianças ganham sentido e rumo. Em vez de consumir os materiais , a criança é convidada a construir, a criar com eles funcionalidades.

9. A documentação
É o reflexo daquilo que somos como educadores. A documentação valoriza a criança, o educador, a escola, a relação entre a escola e a família no entendimento participação na construção do currículo.
Educa a comunidade, comunicando o que se faz e porque se faz, demonstra a intencionalidade educativa da ação.

10. A participação das famílias e da comunidade
Ficaram curiosos?
Em breve teremos novos Recreios e outros encontros de reflexão e estudo sobre Reggio!
Não nos percam de vista!
Ed. Milena Branco