Jogos de luz e sombra - uma experiência fantástica

Estar em creche tem-se revelado uma surpresa, não me lembrava de sentir tão orgulhosa daquele brilho de descoberta e espanto naqueles pequenos olhos...
Por estes dias de sol temos tido algumas experiências espontâneas com as sombras que a luz do sol faz nas nossas cortinas a sala... vejo as crianças a tocar a sombra, a cortina e a espreitar pela janela o sol... escrevi um breve apontamento no meu caderno de registo, «interesse por sombras e luz» (15/9/17) e refleti sobre esse interesse. Tão pequenos será que um jogo de luzes, cores e sombras faria as suas delícias?
Não podia ter feito algo mais divertido!!
As luzes e as sombras parecem dispor de uma poesia. São foco de interesse, despontam uma vontade de explorar, nelas surgem formas, movimentos, há algo de inesperado mas ao mesmo tempo as crianças sabem que existe uma causa efeito que querem explorar, conhecer ,controlar...
Pedi ajuda ás  famílias e expliquei o que iria fazer, para que a atividade fosse um estimulo positivo era importante pensar em dispor recursos em número suficiente. Pedia aos pais uma lanterna pequena (que as crianças conseguissem manipular de forma autónoma) , precisava de um bom foco de luz, algo seguro e uma das famílias disponibilizou um foco com uma bateria (que não necessita de corrente elétrica) e arranjei pedaços de papel celofane.
Coloquei tudo dentro da minha cesta das descobertas e lancei-me ao desafio!
«A minha cesta trás uma coisa que não gosta de muita luz do sol (escureci a sala), trás uma luz mágica para podermos brincar...»
Mesmo sendo pequenos eles sente-se uma enorme curiosidade pelo movimento e alinho este à sombra, abre-se uma janela de descoberta, acende-se o espírito exploratório!
Explorámos as mãos, os pés, a parede onde reflete a nossa sombra até que da cesta surge outro elemento... a cor do papel celofane...
o mesmo corpo, o mesmo movimento a mesma sombra noutra cor... uma experiência completamente nova!! Uma a um convido as criança a explorar comigo.
O fator surpresa nunca faltou! A experiência foi então vivida a pares, a cumplicidade, o corpo do outro, a mistura das sombras, o movimento da cor...
Por meio destes jogos as crianças descobrem e constroem relações pessoais e sociais, tão importantes em tempos de adaptação, como este. Sentem-se próximos, cúmplices, companheiros de descoberta. 
Da cesta surge outra surpresa, um foco de luz, uma lanterna que coloco na mão de cada um (desligada!), rapidamente alguém acende a sua luz e outro acende a sua e outro...e outro...
  
 A experiência volta a ser individual...uns exploram o papel celofane, outros o movimento da sua luz... Enquanto umas contemplam a luz, a cor e a sombra, outros  contemplam o ritmo, o movimento numa imensa e agitada proposta de descoberta!
Da cesta das descobertas surge outra surpresa... não digo nada e ligo a bola de luzes... ligo a música (escolhi Sigur Rós) que toca baixinho...
As luzes das lanternas e as cores e movimentos da bola convidam à dança!
As lanternas dançam, eles dançam, a luz dança, Foi um momento contagiante, observei os seus olhares, os seus movimentos, ninguém ficou indiferente, todos à sua maneira estavam em movimento!

Já no final da atividade, vejo algumas crianças a perseguir bolas de luz que aparecem no chão da sala...gatinham a atrás delas, correm e riem, riem muito...outras apontam o seu foto de luz branca contra as bolas coloridas e tentam adivinhar onde irão reaparecer...
 A atividade perde força... passou uma hora e ninguém deu conta...
ficam os sentidos alerta... sombras, luz e cores, uma experiência fantástica!

Ed. Milena Branco


Comentários