Oficinas de pais e filhos

A nossa viagem ao País dos pais chegou hoje ao fim!
E porque hoje é dia do Pai olhamos para trás em jeito de registo e reflexão sobre esta fantástica viagem pelos afetos e pelas relações familiares.
A nossa grande prioridade ao celebrar esta data ( que alargamos amplamente por 4 semanas) foi o envolvimento das  famílias e a promoção das vivências que celebrem as relações afectivas entre as crianças e os seus pais, ou figura de referência equivalente,como os tios, avós, irmãos, padrinhos, ect., depois de cada criança apresentar ao grupo o SEU PAI, foi tempos de planear diversas oficinas de pais e filhos, respondendo aos focos de interesse de cada um em particular e do grupo numa visão global.
Foto Envolve-te

Quando a escola respeita o ritmo e os foco de cada um , é normal que as famílias vejam pelo mesmo olhar a agencia das suas crianças, assim planear as oficinas foi relativamente fácil e fluiu de forma muito natural...
Ninguém melhor que o Seu Pai para saber as fontes de interesse do seu filho?
Assim, tivemos oficinas bem interessantes que hoje vamos mostrar aqui.
 A primeira oficina foi planeada pelo irmão do Leandro, e porque o Leandro adora motas e triciclos o seu mano trouxe à escola a proposta de fazer uma corrida de motas no corredor!
  Ainda houve tempo para contar ao grupo uma história, pois segundo o  mano Rafael, «Todos gostam de histórias» e assim foi, da estante saltou o livro «Todos no sofá» e fez-se silêncio para a hora do conto!
 


E porque as figuras de referência não necessitam de ser sempre no masculino, as mães estiveram à altura para substituir os Pais na impossibilidade de poderem estar presentes.
No entanto os afetos e as relações nem sempre foram fáceis de geri durante as oficinas...
A frustração é um sentimento difícil de gerir e resolver...A partilha de objetos e dos afetos não é fácil...
Mas são vivências necessárias que nos preparam para a vida real.
A mãe da Irina trouxe-nos um atelier de culinária.
Foi necessário gerir os afetos de quem tem a família na sala, gerir a espera pela sua vez, gerir os impulsos... Mas foi tão divertido assistir à antecipação dos gestos, ao conhecimento da causa e efeito no uso da força física com os alimentos... Estamos a ficar especialistas em manipulação de alimentos, instrumentos  e técnicas de cozinha!
 Durante algumas oficinas contámos com o apoio e envolvimento de alguns elementos da nossa comunidade educativa, como a equipa da cozinha, a quem deixo a minha gratidão.
 


 A oficina do Pai da Constança foi rapidamente planeada, é preciso criar pontes, é preciso envolver todos os que constroem o currículo... 
O pai Pedro trouxe a luz e as sombras que adoramos... O mote foram as histórias, os três porquinhos e o lobo mau, mas o essencial foi a presença, a ponte, o sentir-se parte de nós! 
Esta viagem ao país dos pais foi ficando cada vez mais um reflexo do olhar atento, da leitura que as familias fazem sobre aquilo que gostamos e fazemos no contexto da escola e da família...
A Avó da Emily veio representar o Avô David que está longe a trabalhar noutro país e trouxe um pouco da sua cultura alemã para partilhar connosco, organizou uma oficina de música e dança.
A música tem uma linguagem universal. Sentimos com o corpo todo essa música, esses movimentos...
Às vezes a música vem carregada de histórias, vivências, heranças linguísticas, sociais e familiares, apetece-nos partilhá-la com os outros, porque essa música e esses movimentos são parte do meu EU!
Foi isto que aconteceu nesta manhã no atelier de música e dança tradicional alemã que a avó da Emily veio partilhar connosco!  Foi uma manhã de afetos e cultura muito interessante.

 

  E porque as relações e a sua importância não se medem aos palmos o mano João da Estela, no auge dos seus 12 anos veio trazer magia à nossa viagem...
O João trouxe um saco cheio de folhas e com elas fez uma oficina de aviões e barcos de papel! A Estela ficou orgulhosa e nós também, pela sua disponibilidade e empenho!

 

 E porque os avós são sempre figuras encantadoras e carregadas de afetos, também fizeram questão de marcar presença numa oficina muito especial em que recebemos o avô da Letícia e as suas bolas de sabão.
Numa manhã de sol corremos e brincámos encantados por este avô. Depois  houve ainda tempo para um jogo simples que o avô tirou do bolso... coisas simples como umas cartas com legumes e frutas que incentivou as crianças a nomear.
No final da manhã houve abraços e um coração cheio desta presença.

 
Houve oficinas muito originais que nos deixaram surpreendidos!
O Pai Sérgio da Nicole trouxe o seu talento e os seus desenhos e veio fazer-nos tatuagens!

 
Todos estes encontros são marcas, marcas da FAMÍLIA, marcas do PAI, marcas que ficam em MIM e nos OUTROS que fazem parte de NÒS.
E nós somos muito gratos pela disponibilidade e pelo afeto em cada um destes momentos!
 
O Desporto tinha de entrar numa destas oficinas, pois nós adoramos movimento e bolas!!
Coube ao Pai ao Samuel trazer os pinos e a bola para nos ensinar a jogar bowling!
Foi muito divertido e o Samuel mostrou que sabe jogar muito bem. No final da oficina ainda recebemos o jogo de oferta e agora podemos jogar com ele mais vezes!


 

  E porque os pais gostam de tratar os medos e de mostrar o lado bom das coisas mais desagradáveis, tivemos uma oficina muito especial,uma oficina passada na urgência do hospital dos bonecos com o pai Jorge!
Houve dói dois, picas, pensos rápidos e muitos miminhos! 
Brincámos e vivemos situações reais, sem medo e com muito colo! E vestidos a rigor! 
No final ganhámos uma caixa de primeiros socorros que vai enriquecer o nosso jogo simbólico. 
Crescer assim é tão bom!
 

E porque este projeto só podia terminar neste dia tão especial, hoje fechamos as nossas oficinas d e pais e filhos com o Pai do Simão que nos trouxe uma história com Pai lá dentro!
Na nossa manta das histórias ouvimos uma história de um pai muito especial, «Edoro o meu Pai» foi a obra escolhida para celebrar esta nossa viagem dos afetos...


No final do dia cada Pai recebeu o seu presente especial...uma sessão fotográfica feita ao estilo de hollywood! A cada uma das nossas familias deixamos o nosso agradecimento pela disponibilidade, pela riqueza das propostas, pela presença que tornaram possivel esta viagem.
 Agora é tempo de desfazer as malas, mas em breve faremos nova viagem pelo País das Mães, há quem diga que é repleto de coisas boas, colo, miminhos e aventuras fantásticas, curiosos?
 Não nos percam de vista!
Um abraço
Milena Branco







Comentários