Escutas do rés do chão- Vamos falar de afetos

A minha querida irmã, Liliana Coelho também educadora de infância, partilhou connosco uma "Escuta no rés do chão" muito especial.
Uma escuta que não é apenas da criança, mas de uma família, de uma equipa, de uma escola, de uma comunidade inteira!

"A mãe de um dos meninos fez uma confissão :
"Liliana o D. Só fala na festa de anos que não vai poder ter! Será que alguns amigos podem fazer um vídeo para lhe dar os parabéns?!" 

Estava ali a escuta duma criança mas também duma família! Lancei o desafio às famílias e chegaram vídeos maravilhosos...lancei também o desafio às auxiliares da sala, aos coordenadores,à presidente da escola e todos,sem excepção, guardaram um tempinho para fazer o D. feliz!
 No meu vídeo disse ao D. que não havia vírus nenhum no mundo,bicho nenhum que separasse quem realmente é importante para nós!
 Uma escola não são paredes!
São as RELAÇÕES, os abraços,os beijos, são o dia a dia partilhado e isso ninguém jamais nos tirará!
No dia seguinte o D. Acordou de manhã e disse:
 "Oh mãe tanta gente gosta de mim! Deixa-me ver o vídeo outra vez!"."
Uma escuta atenta do papel da escola como lugar de relação. Uma escola fechada mas aberta para estar próxima, ainda que longe. Uma escola que se defende feita de gentes, que sentem, partilham, se unem, numa demonstração clara de que
"ESTAMOS JUNTOS POR TI D."
É disto que as crianças e as famílias precisam e esperam da escola. Não esperam escolarização esperam RELAÇÃO. A escola é escuta, ela recebe, acolhe, apoia,está presente com cada criança, com cada família, numa rede de gente que se esforça e resgata o vínculo.
SONHAMOS e desejamos mais escolas destas.
As "escutas no rés do chão", continuam a chegar até nós.  A vossa colaboração deixa-nos muito felizes.

Primeiro porque demonstra vontade de se silenciarem, depois porque há por aí adultos com vontade de escutar e de alimentar essa VOZ e vez da criança

Num tempo em que os afetos são o currículo que se defendem, chega-nos outra partilha a colega Liliana Coelho, sobre uma escuta diferente...
 Às vezes o espaço também fala connosco...

"Depois do aniversário do D., voltei tb eu a ver cada vídeo e neles alguém dizia :
"tenho muitas saudades tuas e da escola"...
Li nas entre linhas que o que eles precisavam não eram "atividades de expressão plástica" era de cultivar esta relação! A nossa! As saudades apertam a todos...
Hoje voltei à escola...por eles...
Cheia de tristeza entrei na sala para lhes trazer os livros que mais gostam e tesouros da nossa caixa da natureza e oiço:
 "Mãe a tua batata está triste,sozinha sem amigos olha!"
 Desta vez era o meu filho (3 anos), que escutava aquele ambiente... ele tinha razão...quando olhei vi a nossa batata doce a murchar...com muitas folhas castanhas, mas algumas verdes também e em forma de ! A relação precisava de cuidado, até a nossa batata doce tinha saudades de todos!
Esta semana o mote foi a imagem da batata na minha janela! Falaremos pois de relação, deste amor que nos une... Coloquei novamente o coração em silêncio e decidi escutar... Este rés do chão do qual eu morro de saudades... Havemos de voltar a florir como a nossa batata!  Sim."
 O espaço é ambiente habitado,  ele fala de nós mesmo quando não estamos lá dentro.  Que vivência forte, que escuta atenta da vida dentro do teu espaço.  Cuida dessa plantinha e ela brilhará de novo quando se der o reencontro.
Grata pela tua partilha.
#escutaativa
#espaçosqueacolhem
#poesiaalimentodaalma
#reggioinspaired

Comentários